VONTADE DE DEUS

19/05/2014 08:07

"Quem
faz a vontade de Deus, este é meu irmão, minha irmã e minha mãe" (Mc 3.35).

No texto de hoje Jesus aproveita a chegada dos seus familiares para ensinar aos seus seguidores uma importante lição. 
Para fazer parte da sua família, não é preciso ter parentes de sangue: deve ocorrer um nascimento espiritual. 
Quando Jesus afirma: "aqui estão minha mãe e meus irmãos", declara que são os seus discípulos que formam sua verdadeira família.

A expressão "quem faz..."(v.35) demonstra que todos, de todas as raças - negros, brancos, vermelhos, marrons e amarelos, homens e mulheres, velhos e jovens, ricos e pobres, presos e livres, cultos e iletrados, judeus e gentios podem ser incluídos na graça de Deus. É um exemplo interessante de deliberada
"linguagem inclusiva".  Mas, antes que surja qualquer ideia de inclusão ilimitada, é preciso salientar que o mesmo versículo traz uma condição: "Quem faz a vontade de Deus..." Em vez de incluir todos os que estão ao seu redor (v.32), a afirmação de Jesus parece limitar os que são qualificados como sua família àqueles que ouvem e fazem o que Deus deseja.

O propósito de Jesus não era menosprezar seus familiares, mas demonstrar pelo contraste o significado do verdadeiro laço familiar. Jesus não tratou ninguém com  falta de amor - nem mesmo os seus inimigos - muito menos iria fazê-lo com seus irmãos e com sua mãe. A mesma oferta feita a todos os que estavam ao seu redor foi estendida também àqueles com quem dividia os laços sanguíneos. De fato, vários de seus familiares
tornaram-se seus discípulos, sendo obedientes a Deus.

Mas lembre-se que ninguém é capaz de fazer a vontade de Deus por si só, a não ser somente pelo poder e pela graça soberana de Deus. Você já pode se considerar membro da família de Jesus? Pode afirmar que faz a vontade de Deus?

Extraído de PRESENTE
DIÁRIO