SOB A SEGURANÇA DO SENHOR - Salmo 91

18/06/2012 09:35

Segurança tem sido uma das palavras mais faladas e um dos assuntos mais discutidos do nosso tempo. Por onde se anda e com quem se conversa, difícil tal assunto não ser tratado à luz da situação que vivemos em nosso querido país. O clima de insegurança que paira sobre a vida humana nos convida a analisar com profundidade que somos frágeis mortais, expostos às mais diversas possibilidades e situações. Tal clima pode estar presente nas ruas, no trabalho ou até mesmo dentro dos lares que enfrentam os diversos tipos de problemas.

 

Quando olhamos para a situação humana e nos voltamos para o texto bíblico, percebemos que a insegurança já se fazia presente nos mais antigos tempos bíblicos. São diversos  os textos que transmitem uma palavra de segurança e paz, às pessoas inseguras do passado. Temos, por exemplo, os Salmos 15, 84, 91, 122 e particularmente o já citado acima. Nele, o peregrino demonstra todo o seu amor e ao mesmo a sua convicção quanto à segurança advinda do templo. São três etapas interessantes descritas pelo salmista que merecem destaque nesta reflexão. Para melhor entende-las, necessitamos imaginar alguém que durante uma viagem, busca no templo sua total proteção.

1)  O peregrino sente necessidade do templo - Templo, para o judeu, sempre foi sinônimo de segurança. Quando Israel viu o templo sendo destruído, seja no Antigo quanto no Novo Testamento, ficou como se estivesse sem sua própria casa. Sentiu-se desamparado. Para o peregrino, no templo há segurança, por isso o desejo de habitar na casa do Senhor ( v. 1 ). Deus mesmo o protege dos perigos da viagem, pois coberto com as asas do Eterno estaria eternamente seguro (3-8 ). Para o salmista o templo é uma necessidade, como proteção diante dos perigos da noite.


2) O peregrino é recebido no templo - “O Senhor é o meu refúgio. Fizeste do Altíssimo a tua morada” ( v.9 ). Cumprindo o ritual da época, o peregrino entra no templo, pois Deus mesmo o espera em sua casa. Há alegria e sentimento de alívio em entrar na Casa do Senhor, pois a proteção é completa. O próprio Deus o recebe e lhe dá total segurança. Nenhum mal sucederá e nenhuma praga alcançará a sua habitação ( 10 ). Por que? Porque a proteção divina é completa e o livramento constante.

 

3)  O peregrino faz do templo a sua habitação -  Os versículos 14 e 15 revelam a convicção do peregrino, pois  “a mim se apegou com amor, eu o livrarei....Ele me invocará e eu lhe responderei”.  É a mesma convicção descrita pelo salmista no Salmo 23.8 – “Habitarei na casa do Senhor para todo o sempre” ou do 122.1 – “Alegrei-me quando me disseram, vamos à casa do Senhor”. O templo é a sua casa, pois nesta casa há proteção e segurança.

 

Diante das ondas de insegurança vividas em nossos dias, o Salmo 91 é um convite a repensar a nossa vida frente ao compromisso que temos com a casa do Senhor. Da mesma forma que o salmista no passado, somos também peregrinos diante de um mundo violento e longe de Deus. Quando vezes não nos esquecemos de ver a Casa de Deus como sinônimo de bênção a nós e aos nossos filhos? Que Deus mesmo nos inspire a uma busca constante da segurança que vem através de Cristo Jesus.

 

Rev. Silas de Oliveira