REFORMA PROTESTANTE E EDUCAÇÃO CRISTÃ

06/10/2010 08:53

 Estamos iniciando o mês de outubro! No próximo dia 31 comemoraremos 493 anos da Reforma Protestante iniciada por Martinho Lutero, na Alemanha, no ano de 1517 ( século XVI ). Entre as preocupações do reformador encontramos sua enorme disposição e coragem em lutar por uma educação secular e religiosa baseadas nos princípios da Palavra de Deus. Diante das diversas teses levantadas pelo movimento da Reforma, descobrimos a possibilidade de uma profunda reflexão sobre o atual momento de nossa educação cristã, diante de uma sociedade carente de uma palavra de paz e esperança. A educação não foi uma preocupação secundária dos reformadores, pelo contrário, sempre esteve presente em seus discursos, e principalmente de forma prática e ativa. Lutero,   ao ver que os pais não tinham material para ensinar seus filhos, devido a não existência da Bíblia nos lares, escreveu o Catecismo Maior e aconselhou os líderes políticos de sua época a criarem escolas. Não bastasse isso opinou de forma efetiva sobre os conteúdos que deveriam ser ensinados às crianças. Não apenas incentivou seu povo a ler a Bíblia, mas traduziu-a ao alemão para que todos tivessem acesso. Creio que esse espírito desbravador e prático traz para nós alguns desafios, como por exemplo:

 Destruição dos deuses e ídolos modernos - Lutero escrevia com ironia, dizendo que o diabo estava contribuindo para a grande ignorância do seu povo e isso afetava de forma muito especial a juventude. Creio que a situação atual não seja nem um pouco diferente. Criamos deuses, fabricamos ídolos e os entregamos aos nossos filhos em plena juventude. Nossos jovens estão perdendo referenciais sólidos que lhes dêem o norte a seguir, proporcionando-lhes a possibilidade de elaborarem verdadeiros projetos de vida. Por isso, diante da busca, de grandes movimentos que transbordam a emoção e eliminam a razão, não dando chances à reflexão séria da Palavra de Deus, podemos perguntar: Será que nossos jovens amam verdadeiramente a Igreja e são educados a partir dos princípios da Palavra que norteiam o sistema presbiteriano de governo? Uma verdadeira educação cristã busca estudar antes de agir, não fazendo da Igreja um laboratório, onde realizamos nossas experiências pessoais. Pelo contrário, a Igreja apresenta-se como sinal do Reino de Deus em meio aos ídolos e deuses do nosso tempo.

 Uma nova forma de educar - As recentes estatísticas têm mostrado que o grande problema da nossa educação no ensino fundamental não é tanto a falta de escola. O principal desafio é fazer com que as crianças permaneçam na escola e completem a sua formação básica. É uma situação diferente do tempo de Lutero, quando este lutava para que os pais enviassem seus filhos à escola. Será que como igreja não vivemos o duplo problema nos dias modernos? Se por um lado lutamos por uma educação cristã renovadora, por outro somos desafiados a enfrentar o esvaziamento das escolas dominicais em muitas das nossas Igrejas - muitas vezes devido à falta de compromisso de pais e professores/as, que vivem a improvisar a vida cristã. Particularmente falando precisamos agradecer ao nosso Deus pela presença dos irmãos e irmãs aos domingos de manhã em nossa Igreja. Muitas famílias estão encontrando, na Escola Dominical, o prazer de estudar a Palavra de Deus. Deus tem nos abençoado, mas há muito por fazer! Faz-se urgente a necessidade de pensarmos, sobre quais são os motivos que nos levam à igreja e mais seriamente, sobre quais são os motivos que nos desmotivam a freqüentá-la. Carecemos de uma educação cristã inteligente e motivadora, onde todos, com alegria estudam a Palavra do Senhor.

 Que neste mês em que comemoramos mais um aniversário da Reforma, sejamos desafiados a vê-la como instrumento de transformação e crescimento espiritual. Que tenhamos a coragem de reconhecer a necessidade de novas estratégias para o ensino do texto bíblico. Que possamos entender que o estudo da Palavra passa por uma vida de reflexão e oração, mas também por compromisso e serviço com os princípios do Reino de Deus. Nenhuma educação cristã será verdadeira se não estampar a marca de serviço ao próximo e a vida em comunhão, pois sem isso, não seremos Igreja Reformada sempre se Reformando. Que Deus nos ilumine no desafio proposto e que o Mestre dos mestres nos ensine a ensinar.

 

 Rev. Silas de Oliveira