PRIMÍCIAS AO SENHOR

26/11/2013 08:57

“A terra deu o seu fruto, e Deus, o nosso Deus, nos abençoa” (Salmo 67.6)

Como realizamos todos os anos, durante o culto da 19hs estaremos apresentando ao Deus Eterno, nossas vidas, como ato de gratidão por tantas bênçãos recebidas. As primícias faziam parte da tradição histórica do povo judeu, que ano após ano dedicava ao Senhor os primeiros frutos da terra. Na ocasião, aquilo que de melhor era produzido, colocava-se no altar como sinal de um coração agradecido.

Biblicamente é uma das mais lindas festas registradas pelo livro sagrado. Através da leitura bíblica é possível observar a alegria do povo em devolver ao Senhor um pouco do muito que recebia. O mais importante não estava na quantidade, mas principalmente na qualidade do produto trazido ao altar. Era dedicado o melhor, ofertado a  um Deus amoroso que acompanhava seu povo em toda e qualquer situação.

A história de Israel registra inúmeras festas promovidas pelo povo judeu. Contudo, a Festa das Primícias marca a condição de um coração agradecido. Ofertar ao Senhor o que se tem de melhor, fazia parte dos ensinamentos recebidos em pleno deserto. Na dureza da caminhada aprenderam a agradecer. Na escassez da vida deu os ensinou a ofertar.

Como é bom saber que as misericórdias do Senhor duram para sempre.  Sua presença amorosa nos conduz na caminhada e nos convida a agradecer. O culto de hoje é um convite à gratidão. Quantas tem sido as bênçãos recebidas, independente  das lutas da vida. Deus tem colocado em nossas mesas, todos os dias o pão de cada dia. Precisamos agradecer! Tem nos livrado dos perigos em meio a um mundo violento. Precisamos agradecer! Tem abençoado nossa casa e nossos familiares. Precisamos agradecer! Por tudo o que tem feito e por tudo o que irá fazer – precisamos agradecer!

Reúna sua família e vamos agradecer a Deus, ofertando ao Senhor as nossas vidas, bem como com algo que Deus tem colocado em seu coração. Que o culto de hoje seja uma profunda entrega e reconhecimento de corações agradecidos.

 

Rev. Silas de Oliveira