IPI DO BRASIL – 110 ANOS EM ORAÇÃO

29/07/2013 09:35

Na próxima quarta-feira, dia 31, a Igreja Presbiteriana Independente do Brasil  completará 110 anos de organização eclesiástica.  Na noite de 31 de julho de 1903 um grupo composto por sete pastores e quinze presbíteros iniciou uma nova caminhada, resultando no dia 1º de agosto na organização da nova Igreja.

Apesar das vozes proféticas terem se levantado anunciando o fracasso do projeto, os primeiros resultados começaram a aparecer. Nas primeiras décadas do século XX o crescimento foi assustador, multiplicando a todo tempo o número de pessoas que se convertiam e se comprometiam com a pessoa de Jesus Cristo.

Diante do constante crescimento recebemos o título de “Igrejinha dos Milagres”, visto que todas as profecias sobre o seu fracasso, fracassaram. A Igreja continuou sua caminhada, passando pelos nossos antepassados e chegou até nós. Sofreu com crises doutrinárias, mas continuou sua luta ao longo de todo esse tempo. Hoje somos mais de 500 Igrejas  e 900 pastores espalhados por todo o Brasil e também fora dele, através das parcerias missionárias em diversos países.

Uma das marcas da nossa Igreja ao longo destes 110 anos foi a oração. A Igreja nasceu em oração. A Igreja cresceu em oração. A Igreja existe devido à oração de irmãos e irmãs espalhados por todo o planeta.

Devido pessoas que diariamente oram pela Igreja e buscam a bênção do Senhor, podemos nos reunir em liberdade de culto e agradecer. A oração de muitos anônimos nos permitiu ter uma Casa para adorar e um Deus para servir.

Vamos nos unir a todo o povo presbiteriano independente espalhado pelo país e agradecer ao Senhor pela existência desta Igreja. A oração transforma sentimento e emoções, removendo barreiras que impedem nosso relacionamento com o próximo e com o próprio Deus. Oremos pela nossa Igreja local, seus projetos e seus sonhos. Oremos pela Igreja em todo o Brasil. Oremos pelos nossos líderes, confiando suas vidas no altar do Senhor. Que se cumpra em nós a promessa divina: “se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e me buscar, e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, perdoarei os seus pecados e sararei a sua terra. Estarão abertos os meus olhos e atentos os meus ouvidos à oração que se fizer neste lugar” ( 2 Crônicas 7.14,15).

 

Rev. Silas de Oliveira