IGREJA, NOSSA MÃE!

13/05/2013 12:28

Será que uma mãe pode se esquecer do seu bebê? Será que pode deixar de amar o seu próprio filho? Mesmo que isso acontecesse, eu nunca me esqueceria de vocês” (Isaías 49.15).

 

O Dia das Mães é a segunda maior data do ano em vendas, perdendo somente para o Natal.  Filhos e filhas  buscam de todas as formas encontrarem alguma coisa que possa agradar aquela que lhes deu a oportunidade de vir à luz.  O comércio agradece e empolgado luta para buscar o maior rendimento possível, pois afinal de contas, nem todo o final de semana é assim.

Ficamos impressionados pela disposição dos filhos em presentear, independente de como anda a convivência com as suas mães. Podem passar inúmeros dias sem conversar, ou indiferentes, mas parece que o presente é uma forma de atração ou até mesmo de reconciliação. Por outro lado, mães  completamente indiferentes às necessidades de seus filhos, ficam a espera de algo que em muitos casos nem mereciam receber. São os contrastes da vida que acabam sendo regidos pela troca de presentes e não pela troca de carinho, respeito e amor.

Biblicamente mãe é algo divino! Impossível aos homens decifrarem a grandeza da graça divina em presentear a mulher com a bênção da gravidez.  Todos nós, homens e mulheres,  nascemos de uma mãe que no tempo de Deus nos trouxe ao mundo para vivermos em uma comunidade chamada Igreja. Aqui está nossa Mãe Maior! A Igreja é a  mãe que nos acolhe, nos ampara, nos socorre, nos abraça e nos incentiva a viver. Somos nós como filhos e filhas que muitas vezes a tratamos como uma terrível madrasta. Viramos as costas, deixamos de participar por qualquer razão, buscamos  conselhos e colos em outras mães e como filhos mimados queremos exclusividade em suas decisões.

Esta mãe chamada Igreja nos convida à convivência familiar, aonde em nossas diferenças somos tratados de forma igualitária. Aqui somos recebidos com os nossos defeitos, pecados, dúvidas e insegurança. Aqui somos tratados e nos é devolvido um sorriso no rosto, um cântico novo em nossos lábios e um coração transformado, repleto de amor.

Que neste Dia das Mães, filhos e mães declarem amor sincero, baseados no amor de Cristo pela sua Igreja. E que todos, diante do altar de Deus, amem a Casa do Senhor para todo o sempre.

 

UM FELIZ DIA DAS MÃES!

 

Rev. Silas de Oliveira