ELEIÇÕES 2010

27/09/2010 16:52

 No próximo domingo, dia 03, o Brasil elegerá os seus novos governantes, nos mais diferentes cargos. Durante os últimos dias recebemos inúmeras correspondências, seja via correio, ou eletrônicas ( email ), oferecendo as mais diversas informações sobre os mais diversos candidatos e candidatas. Há conteúdo para todos os gostos e opiniões. Algumas coisas chegam a nos chocar, outras nem tanto.

 É muito comum, neste período, a busca de uma opinião pastoral sobre este ou aquele candidato, visando uma decisão correta. Confesso aos irmãos/ãs o quanto tem sido difícil tomar decisões corretas no atual momento do quadro político brasileiro, porém, optei por pelo menos três regras simples e cristãs.

 Em primeiro lugar, devo avaliar o testemunho de vida e se possível, um pequeno histórico do candidato(a), naquilo que se refere ao campo da ética e da moral, tão esquecidas em nosso país. Ética significa a ciência que estuda o comportamento humano, portanto, analisa o jeito de viver das pessoas. Para isso, pessoas de perto e conhecidas são mais fáceis de observar e analisar. É triste observar tantos políticos sendo condenados por incontáveis processos e muitos cristãos continuam votando, sendo fiéis a pessoas sem nenhum temor de Deus.

 Um segundo fator refere-se às propostas. Quantas são as propostas impossíveis de serem cumpridas. Precisamos ser inteligentes para perceber que há promessas que nunca serão cumpridas. O cristão não pode se vender, por uma porta ou telhado de sua casa, cestas básicas ou coisas parecidas. O preço a ser pago sempre será alto e às vezes impossível de ser pago.

 Em terceiro lugar, preciso observar se o candidato traz em seu corpo as marcas de Cristo Jesus. Muitos estão marcados pelo desejo da ganância, do poder, da riqueza e da vaidade. As marcas de Cristo produzem o desejo de servir, a alegria de dar e a satisfação em abençoar.

 Querido irmão (ã): Você tem orado em favor do seu país? Durante esta semana, clame a Deus em favor da nossa nação. Peça a Ele sabedoria e discernimento e vote com dignidade cristã.

Independente das pessoas, cargos ou atitudes que muitas vezes contrariam a vontade divina, devemos orar em favor da nação. Não deixe de orar, porque “Feliz é a nação cujo Deus é o Senhor” ( Salmo 33.12 ).

 

 Rev. Silas de Oliveira