DOMINGO DE PENTECOSTES

20/05/2013 09:23

A festa de Pentecostes sempre fez parte das diversas comemorações e festividades programadas por Israel, como ato litúrgico de adoração e serviço a Deus. Era comemorada sete semanas após a Páscoa ( Lv 23.15-21 ). Enquanto a Páscoa  determinava o início da colheita da cevada, Pentecostes fazia parte das comemorações referentes ao seu término. Era dia de santa convocação, ou seja, uma enorme oportunidade oferecida para que o povo de Israel pudesse agradecer ao Senhor por tantas bênçãos recebidas. Foi  exatamente  em um período como este que a promessa referente à descida do Espírito cumpriu-se na vida da Igreja. O relato bíblico ( Atos 2 ) nos leva à imaginação daquele sublime momento em que a Igreja é envolvida pelo Espírito de Deus e em unidade, falando a mesma língua, começa a louvar e a proclamar o nome do Senhor.

O domingo de Pentecostes é uma rica oportunidade para juntos refletirmos sobre a atuação do Espírito de Deus em nossas vidas e na vida de toda a Igreja. Pentecostes  é dom de Deus, portanto, sem pentecostes não há vida cristã. Contudo, precisamos ter consciência que Pentecostes é algo totalmente diferente de Pentecostalismo. Pentecostes é unidade – é o falar a mesma língua e buscar os objetivos que estão presentes na mensagem do Reino de Deus.   Pentecostalismo é  Torre de Babel, que confunde e divide a Igreja de Cristo.

A Bíblia nos convida a compreender a pessoa do Espírito Santo como dádiva de Deus ao seu povo. Assim sendo,  Pentecostes é compromisso com a vida à moda da mensagem do profeta Joel onde filhos e filhas profetizarão e velhos sonharão. Quando compreendemos que os dons não são provas de espiritualidade,  compreendemos também que a nossa espiritualidade não pode estar baseada em coisas chamadas tão somente de “extraordinárias”,  mas sim na nossa constante intimidade com Deus.

Hoje é  Dia de Pentecostes, portanto,  dia de celebrar a unção de Deus sobre sua Igreja. O Deus Espírito Santo nos convida à celebração com alegria e dedicação, pois Pentecostes é sinônimo de unidade e dinamismo oferecidos pelo próprio Deus ao seu povo.  Deixemos o Espírito de Deus agir em nossas vidas e façamos parte de um povo que não precisa tão somente ver para crer, pelo contrário, pela fé crê na permanente atuação divina. Desta forma seremos uma Igreja forte e atuante, convicta de que na sua caminhada os velhos precisam da visão dos moços e estes carecem dos sonhos dos velhos.

Deixemos o Espírito de Deus agir em nossa Igreja.

 

Rev. Silas de Oliveira