CORAÇÃO DE CRIANÇA

24/10/2013 09:25

Mateus 18.1-5; 19.13-15

 

Esta é a terceira mensagem consecutiva sobre o tema da conversão. Impossível analisar o ministério de Jesus sem observar seu olhar cuidadoso e abençoador para com as crianças do seu tempo. Jesus também foi criança e sabia muito bem como era a infância em seu tempo.  Conhecia as leis judaicas e a preocupação dos judeus com a mesma.  Exatamente por isso decide usar a criança como exemplo maior de vida transformada pelo poder do Espírito Santo.

A afirmar “...se não vos converterdes e não vos tornardes como crianças, de modo algum entrareis no reino dos céus”, o Mestre  não estava falando de conversão da criança.  Ele mesmo disse que o Reino dos céus já pertence a elas.  Dizia para nos tornamos crianças.  Era preciso parar com a disputa de quem  era o maior entre os discípulos e aprender com o comportamento infantil.

Jesus estava desafiando seus discípulos a ver na criança exemplos de felicidade e alegria, sinceridade e humildade, além de total confiança nos cuidados paternais. Ensinava que assim como uma criança clama por alimento e amor, devemos clamar pelo acolhimento de Cristo e seus cuidados em nossas vidas.

 Jesus não está elogiando o comportamento egoísta e às vezes mesquinho das crianças, que nós adultos ensinamos.  Somos nós quem

ensinamos a criança a dizer muito obrigado, bom dia, boa tarde, por favor, etc.. Mas somos nós também quem ensinamos às crianças  desobediência, falta de respeito e educação,  consumismo, maus hábitos, amar ou não amar a Igreja, orar e ler a Palavra de Deus. Quanto mais negligenciamos nossa espiritualidade, mais encontramos defeitos e criticamos a espiritualidade do próximo.

Jesus nos convida a desejar o seu toque, assim como as crianças anseiam pelo alimento, cuidado e proteção. Convida-nos a brincar em seu reino, com alegria e muita paz no coração.  Somente cresceremos espiritualmente com joelhos no chão e palavra no coração.

 

Rev. Silas de Oliveira