ANTES DO INVERNO CHEGAR...

01/07/2013 09:30

2 Timóteo 4.9-22

Há poucos dias iniciamos a estação de inverno. Este é um período  aguardado por alguns e rejeitado por outros.  Para muitos, período de acolhimento, para outros de isolamento ou recolhimento.  Independente do gosto pessoal, não podemos negar que a estação tem sido inspiração para muitos poetas.  Diante das noites  mais longas que os dias, presenciamos muitas espécies de aves migrando para outras regiões e animais  hibernando até ao final da gelada estação. Biblicamente falando, estamos diante de mais uma belíssima estação, obra das mãos do Criador. Ele mesmo decidiu que precisamos do inverno!

O texto acima é um convite a refletir sobre tão importante estação. O apóstolo Paulo estava preso em Roma, vivendo seus últimos dias de vida.  O inverno  se aproximava e com ele muitas preocupações.  Decide escrever pela segunda vez ao seu discípulo amado, com palavras de orientações, mas principalmente de despedidas.

Ao fazer uma avaliação de sua carreira,  diante do prelúdio do inverno, demonstra seu lado humano. Criatura de carne e osso, com a mesma natureza e paixões de qualquer um nós.  Descreve sua situação difícil na prisão, e externa, particularmente, a sua SOLIDÃO.  Sente-se sozinho, totalmente abandonado pelos amigos.  Muitos de seus amigos não podiam mais vê-lo.  Muitos companheiros de viagem ficaram pelo caminho. A ausência da comunhão gerava em seu peito dor e tristeza. Porém, a maior decepção de Paulo acontece com Demas (v.10).  O fato de perder alguém que considerava amigo para o próprio mundo,  talvez fosse o pior inverno enfrentado pelo apóstolo em sua vida.

Outra dificuldade refere-se à oposição sofrida por um homem chamado Alexandre (vs 14,15).   Não sabemos quais foram os males que fez ao apóstolo, mas sabemos que houve uma forte resistência a toda pregação e a mensagem anunciada. Resistiu fortemente à Palavra de Deus.

Por último, destacamos seu desabafo, quanto a  ninguém ter surgido em sua defesa,  quando de sua prisão.  Pela lei romana Paulo tinha direito a contratar um advogado e convocar testemunhas, porém nada disso conseguiu.  Estava sem assistência e sozinho, porque muitos amigos cristãos não queriam ou não podiam ajudá-lo.  Estava em seu próprio Getsêmani. Quando escreve a Timóteo tinha consciência que com a chegada do inverno as coisas iriam piorar. Precisava da capa para aquecer o seu corpo. Dos livros para aquecer sua mente. Dos amigos para aquecer sua alma.

Diante da realidade vivida pelo apóstolo, vale a pena fortalecer nosso circulo de amigos, principalmente daqueles que são tementes a Deus. Quantos são nossos momentos de solidão e tristeza diante das situações que o mundo nos reserva. Quantas são as pessoas que ficam pelo caminho, deixando a comunhão dos santos e seguindo seus próprios pensamentos.

 Busquemos no Senhor da natureza o aquecer da nossa fé e o crescer na comunhão. Na companhia de Cristo, nunca estamos sós, pois Ele é o nosso Divino Companheiro, quando a tristeza e a solidão baterem em nossas portas.

Que este período de inverno seja de profunda intimidade e comunhão com o Criador!

 

Rev. Silas de Oliveira