151 ANOS DE PRESBITERIANISMO NACIONAL

16/08/2010 20:12

 Em 12 de agosto de 1859 chegou ao Brasil o Rev. Ashbel Green Simonton, primeiro missionário presbiteriano enviado pela Igreja dos Estados Unidos da América do Norte ao nosso país. Para nós, da IPI do Brasil, esta data parece ficar um pouco ofuscada devido à proximidade com a comemoração do 31 de julho. Mas necessitamos redescobri-la, visto a importância desse momento para a história evangélica do Brasil.

 Há 151 anos o Rev. Simonton desembarcou na baía da Guanabara ( Rio de Janeiro ), com apenas vinte e seis anos de idade, recém saído do Seminário de Princeton. Começou o seu trabalho ainda solteiro, retornou ao seu país para se casar e regressou ao Brasil decido a ampliar o trabalho e proclamar o evangelho. Pouco tempo depois perdeu sua esposa. Aos trinta e quatro anos, vitimado pela febre amarela que assolava o nosso país, também faleceu deixando uma enorme contribuição ao mundo evangélico brasileiro. Está sepultado no Cemitério dos Protestantes, uma espécie de   Cemitério anexo ao Cemitério da Consolação na cidade de São Paulo, preparado para receber os corpos daqueles que, naquela época, não professavam a fé católica, religião oficial do Estado.

 Neste curto espaço de tempo realizou uma obra de proporções incalculáveis. Plantou a raiz presbiteriana no Rio de Janeiro e São Paulo. Com a colaboração de alguns companheiros, fundou um jornal, organizou um Instituto Teológico, escreveu e publicou livros, além de incentivar a criação de escolas pelas Igrejas já organizadas. O presbiterianismo por ele iniciado desenvolveu-se pelo solo brasileiro gerando outras denominações que compõe a família presbiteriana e reformada em todo o mundo. Devido à importância desta data não poderíamos deixar de destacá-la, visto que a mesma,   marca a nossa história e nos coloca em contato com as  nossas raízes.

 Não somos uma Igreja solta no tempo, sem história e sem memória. Pelo contrário, fazemos parte de uma grande família espalhada pelo mundo que tem, em Cristo, seu Pastor Maior. Um dos grandes desafios do nosso tempo está no fato de reconhecermos nossa identidade e com orgulho revelarmos ao mundo as nossas origens. Creio que nossa timidez presbiteriana muitas vezes nos impede de confessar que Cristo é Senhor, independente das inúmeras bênçãos que são derramadas sobre nossas vidas dia após dia.

 Oremos para que Deus continue a chamar pessoas como o Rev. Simonton, dispostas ao “ide” de Cristo. Sua passagem entre nós foi curta, porém marcante, tendo em vista o enorme legado histórico que nos deixou. Em outras palavras, ele não perdeu tempo, pois mesmo diante das crises enfrentadas, sempre teve consciência do motivo de sua presença em solo brasileiro. Que o espírito missionário do Rev. Simonton nos inspire à proclamação do evangelho, utilizando as diversas possibilidades que hoje nos são oferecidas, em contrapartida às dificuldades enfrentas pelo servo de Deus no passado.

 Lutemos sempre por um presbiterianismo que proclame diariamente as verdades do Evangelho!

 

Rev. Silas de Oliveira