A CONVERSÃO DE PAULO

16/10/2013 15:35

E, caindo nós todos por terra, ouvi uma voz que me falava, e em língua hebraica dizia: Saulo, Saulo, por que me persegues? Dura coisa  é recalcitrares contra os aguilhões.” Atos 26:14.

 

Como é bom saber que Deus transforma, pela sua graça,  homens e mulheres  independentes da situação em que se encontram. A misericórdia de Deus busca cada um de nós, onde estivermos e nos traz de volta à vida, transformando-nos em vasos  de bênçãos em suas mãos.

Assim Deus fez com o apóstolo Paulo. Suas intenções e desejos de perseguição dominavam seu coração e mente.  No seu interior reinava o desejo de vingança.  Seu coração produzia o ódio e sua mente era uma indústria de más intenções.  Ao ser confrontado com a pessoa e palavra de Jesus, não resistiu e caiu literalmente em terra.

Seu desejo de perseguição é questionado pelo próprio Cristo, que tomou a iniciativa de resgatá-lo e transforma-lo em um vaso de bênçãos ao seu serviço. Ao passar por tão significativa experiência, Paulo percebeu sua fragilidade e impossibilidade de lutar contra o poder do próprio Deus. Descobriu que mesmo com todo o seu conhecimento e autoridade, nada poderia resistir à intervenção divina em sua vida.

A história de Paulo é a história de cada um de nós. Vale a pena ao analisar a história da conversão do apostolo, pensar na importância da atuação divina em nossas vidas. Sua conversão é uma oportunidade de repensarmos nossa própria experiência de conversão. Sua história deve-nos levar a concluir de  que conversão sem transformação de mente e coração não é conversão. A verdadeira conversão em Cristo resgata o sentimento do amor, elimina qualquer sentimento de ódio e vingança e proporciona a oportunidade de um novo amanhã. A verdadeira conversão deixa pelo caminho amizades e companhias que não edificam e faz nascer um novo ser que apenas deseja glorificar e proclamar o nome do Senhor.

Paulo descobriu que andar com Deus era tão somente permitir que o Eterno assumisse o controle de tudo levando-o  a olhar a vida,  todas as manhãs,  como dádiva dos céus.  Para nós, é ter certeza de que as enfermidades da vida são por Deus curadas e Ele mesmo coloca em nossos lábios um novo cântico de louvor e adoração.

 Deixemos Deus mudar nosso ser, transformando-nos em vasos de bênçãos a levar o seu nome às vidas mergulhadas no pecado e distantes da Sua graça.

Rev. Silas de Oliveira