A MORDOMIA DA INFLUÊNCIA

15/10/2010 10:51

 2 Coríntios 2.13-17; 3.1-6

 

 Na linguagem popular do nosso país, a palavra mordomia tem um sentido pejorativo, significando uma pessoa folgada ou coisa parecida. Entretanto, no contexto bíblico, a raiz da palavra tem um significado muito mais profundo que podemos imaginar. Mordomia tem o sentido de administração, ou seja, o mordomo era aquele que administrava os negócios de seu senhor. Biblicamente falando, são diversos os tipos de mordomias que necessitamos administrar em nossa cristã, mas cabe aqui uma referência particular à mordomia da influência, tão presente em nosso dia a dia. Como ser social, exercemos e recebemos as mais diversas influências, sejam elas boas ou ruins.

 De acordo com o texto acima, o apóstolo estava sendo acusado de buscar glória própria, pois um grupo de pessoas da igreja de Corinto se considerava mais espiritual que os demais. Enfatiza que “vós sois a nossa carta...conhecida e lida por todos os homens” ( 2 ). Analisemos com cuidado por onde passa nossa mordomia da influência:

 1)       LAR – É no lar que vivemos nossa vida mais real. Nele somos transparentes e revelamos aspectos da nossa identidade que geralmente são ocultos à maioria das pessoas. Muitas vezes a vida de um indivíduo dentro do lar está em total conflito com a que vive fora dele, esquecendo-se completamente que é “Carta de Cristo”

2)        NEGÓCIOS – Costuma-se dizer: “Negócio é negócio; religião à parte”. Esta afirmação contradiz-se totalmente com a orientação bíblica de que tudo pertence a Deus. O verdadeiro cristão tem como Companheiro Maior em seus negócios a pessoa de Jesus Cristo. Como patrões e empregados não podemos nos esquecer de que somos “Carta de Cristo”.

3)       IGREJA – No dia a dia da Igreja temos a enorme oportunidade de influenciar uns aos outros através do grande amor de Deus. Nossas atitudes, gestos e ações são instrumentos da proclamação da graça divina. Pais e filhos, esposas e esposos, irmãos e irmãs têm a rica oportunidade de revelarem a verdadeira influência procedente do Espírito Santo, pois somos “Carta de Cristo”.

4)       SOCIEDADE – Esta é a área mais ampla da influência humana. Não podemos e não conseguimos nos isolar. Somos o fermento de Deus no mundo ( massa ), para a total transformação do ser humano. O nosso testemunho na sociedade fala muito mais alto que uma multidão de palavras proferidas dia após dia, afinal, somos “carta lida por todos os homens”.

 Lembremos que a nossa vida neste mundo é limitada. Quando recebemos uma carta, a primeira coisa que fazemos é abrir rapidamente o envelope para ler e conhecer o seu conteúdo. Assim é a vida do cristão no mundo. Todos nos lêem, sejam as nossas influências boas ou ruins. Somos luz do mundo e sal da terra. Que possamos ser a verdadeira carta de Cristo, conhecida e lida por todas as pessoas que o Senhor colocar em nosso caminho.

 

 Rev. Silas de Oliveira